sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Um muro obscuro

Eu quis o muro
e por murmurio
da moça humilde
tornei-me um imbecil

Eu quis amor
e sem pudor
fui amado
umas quinhentas vezes

Eu não quero mais muro
e sequer o escuro
de viver só
sem amor e carinho

Nenhum comentário: