segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Um só poema

Ontem um amigo fez-me a seguinte pergunta: O porquê de ser um poeta? Sinceramente, eu não soube responder tal pergunta. Mas por dentro eu vibrava, buscava respostas; mesmo sem ser perguntado novamente! Nos despedimos e fui dormir, com um tamanho buraco de minhoca na cabeça. Dormi por algumas horas e acordei tomado por uma vontade de escrever poemas; puxei um papel de anverso branco e ao tocar o lápis, aquele labirinto voltara a mente. Desisti de escrever, voltei ao cobertor e ali deitado, descobri que cada labirinto representava alguém. Descobri que tenho os pais mais inteligentes e criativos; que com eles aprendi a descobrir o mundo! Tenho os melhores irmãos e amigos que alguém pode ter. E sabe o porquê sou poeta? Por que sugo de cada um deles uma determinada porcentagem de amor, sabedoria, fraternidade, enfim, sugo o que posso. Sou poeta porque estes fornecem-me um aprendizado contínuo. E sei que muitos deles também se queixam da mesma resposta! Se és meu familiar ou amigo(a), obrigado por tudo. Vocês em um são um único poema.

Nenhum comentário: