quarta-feira, 2 de julho de 2014

Quando perdi o meu hoje

Eu preciso dizer
coisas estranhas
a seu respeito
mas vou escrevê-las

eu quero um lápis
preciso falar de você

são falas sem sentido
mas não é paixão
são os meus lamentos
de pura solidão

não sou preso a você
mas tu és o meu medo
sou cria doa cadernos
que me acompanha
neste inferno

não me tire a sorte
saiba onde mora você
desapareça da madrugada
pois eu preciso escrever

Nenhum comentário: