segunda-feira, 30 de junho de 2014

Palavras Guardadas

Não se vá
Espere a chuva passar
Sente aqui do meu lado             
Não receie num olhar

Este silêncio apavora
E Este momento faz-te relembrar
De um todo vivido e não esquecido
Que o tempo insiste em não enterrar

Não me faça existir nestas gotas
Em breve elas hão de passar
Olhe-me e esqueça o silêncio
Sai deste vidro e vamos conversar

Que merda ficarmos sozinhos
Estes pensamentos vão me matar
Se eu abro a boca peço-lhe um beijo
Pensamentos também incomodam 
Sou surrado por me calar

Nenhum comentário: