segunda-feira, 30 de junho de 2014

A dor de Nietzsche

a dor de Nietzsche
ao vidro da sala
vi o mundo morrer
não sai pra salvar ninguém
a sala era um mundo pra sobreviver

eu estava doente
doente da mente sem mesmo a ter
morando na sala que ainda sobrara
vivendo do meu escrever

escondido num breu
escrevendo pra não morrer
a radiola atenta a Bach
e eu estou a escrever

eu estou doente
doente pois perdi o eu
meus desejos moravam aqui
o chefe deles me esqueceu

o mundo lá fora caiu
mas eu ainda preciso e escrevo
a morte já faz hora extra
só a doença de Nietzsche que vejo

Nenhum comentário: