quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Chuva

Chuva
leve as águas do banheiro
aquelas que eu deixo escorrer
e por medo de alguém ver
seco os meus olhos

Chuva querida
escorra teu frio na minha ferida
e com o ardor da cura
queime essa dor
pois quero ter prazer
de sair no frio
com chuva
e sorrindo

Chuva
molhe a calçada
invada minha casa
quero sentir falta do meu cobertor
quero ouvir a goteira do telhado
fazer quente este meu inverno
me pertencer ao silêncio do amor
acobertar minha namorada

Nenhum comentário: