sábado, 30 de junho de 2012

eternos minutos

teu sangue impresso
só uma coisa te peço
não deixe em mim o espinho
lave de mim os restos

teu sorriso morreu
não está mais aqui
está do outro lado da rua
nos lábios de alguém infeliz

eu falo sozinho
e ainda sei sorrir
falta alguém aqui
restos de um grande amor

agora sei de mim
segredos deixados pra trás
obrigado por existir
aquela vento não volta mais