quarta-feira, 9 de novembro de 2011

insano fui eu

lá do outro lado
a mundos em meus pensamentos
algo que varre a nossa estrada
que lança ao lixo nossas cartas
faz-me esquecer o quão perto
um dia vivemos

hoje eu imploro sua distância
sentindo na pele a tal ausência
mostrando ao cupido
que há diferenças
e a flecha que acerta
pode matar

ou até mesmo apodrecer
sangrando os olhos de um anjo bom
sagrando ao Olimpo um novo deus
agora às entranhas de um coração
que brota do fundo de uma canção
aonde escoa o fim de uma breve história
expurgando o pedaço que um dia fui eu

Nenhum comentário: