sábado, 8 de outubro de 2011

um minuto de confissões

fazer o que não sei
só pra saber onde estou
se na consciência de um menino
ou vivendo a loucura do tal amor

onde não errar
se em tudo só existe você
cometo o mesmo erro
e só me acerto em você

que percamos nos anos
a distância não é ponto final
o tempo é o remédio insaciável
a esperança é veneno pra um mortal

não me entrego ao destino
faço de tudo uma paixão
mas o vício por ti consagrado
me prega um simples não

Nenhum comentário: