sábado, 10 de setembro de 2011

um minuto sem eu mesmo

amei dizer tudo
sem saber de ti
da estrada que separa
de algo que morreu aqui

tantos minutos
uma só hora
partir agora é impossível
você ainda me namora

nada se entrega ao ladrão
ao roubador de sonhos
que sonha minhas vontades
o tempo em que somos

Nenhum comentário: