segunda-feira, 5 de setembro de 2011

madrugada em prantos

minhas verdades
ou seu abrigo
se é necessário
flores ou choro
ser seu ursinho
quando pareço um lobo.
se morro por ti
vivendo em prantos
na madrugada
a procura de alguém
que saiba de mim
o que você não quis saber.
posso matar essa saudade
morrendo aos poucos
sentindo saudades
daquele velho leito
onde eu me repousava
deitava em descanso
não me escondia
nessa sarjeta


Nenhum comentário: