terça-feira, 9 de agosto de 2011

imensidão numa lágrima

quando eu pedir
e nada fizer
nem outro pedido
faça o que quiseres

não moro lá embaixo
mas elas vão
escorrem minha vergonha
sustentam mais que um pão

se desço
vou me levantar
se deixo minha vergonha
alguém pode pegar

choro de medo
morrer parece ilusão
meus medos superam a morte
a lágrima clama o perdão

Nenhum comentário: