sábado, 27 de agosto de 2011

Cleópatra

te enviei um presente
algo que arde incessantemente
pra canonizar este olhar duvidoso
pra o seu Faraó não mais voltar

nada que alguém diga de ti
eu nada posso falar
posso enxergar sua verdade esboçada
consigo entender este seu olhar

menina
nunca nada além de menina
sou aquele ursinho que mora em sua cama
vivo por ti minha menina

morra pra ti
faça outrem em ti existir
pinte tua face como menina
jeitinho menina que não vai partir

menina vamos brincar
este antigo quer ressucitar
talvez em tuas poses Cléopatra minha
talvez numa pose do fotografar


Nenhum comentário: