segunda-feira, 4 de julho de 2011

tenho caminhos

sei que nada é como antes
que o inverso já me faz
que o sorriso não consola
lágrimas sim satisfaz

sou como o sapo destelhdo
tenho casa onde faço
sofro com os meus elogios
nada mais que embraços

não me meço por conquistas
todos tem que conquistar
quero uma flor fora do jardim
saber da escolha de onde morar

eu fico e não digo
mulher que diz me fazer
fazer da escolha um protesto
vida como te viver


Nenhum comentário: