sexta-feira, 8 de julho de 2011

tempos de amigos

onde nascer
se a vida nos planta o lugar?
de onde vir
se a existência nada é do acaso?

por que sou
se justamente me encaixo
nas linhas sem sorte
onde me desabafo?

antes a poeira
pois tudo voava à pedaços
e nada me fazia corpo
só a figura de um palhaço

ser somente um
viver apenas alguns
alguns segundos que todos veem
ser um importante a algum

meço as moedas
nada parece existir
só a figura já implicante
me impulsionando a querer ir

antes vocês
que nunca me parecerão
sabidos das preces de um mendigo
sorrindo com precisão

mexas e flechas
antes o amor
se nós morássemos naquela casa
seria impossível sentir essa dor

e se já me encontro
me estendo a poder querer
mais um momento da nossa amizade
mais uma poesia que vou escrever


Nenhum comentário: