terça-feira, 14 de junho de 2011

jic

era tudo o que eu queria
queria mas se fosse valer
valer a saudade engajada em braços
e que esses braços fossem os meus

nem sempre a vida é presente
e nem de passado ela pode existir
ser pensante e rotineiro
não me faz de ti desistir

és o alimento de um verme
de um verme que já me comeu
se estou triste ele grita fome
grita que ainda não te perdeu

perdeu o vício da sorte
e ganhou este vício da morte
meu eu só pede o seu
implora em nunca dizer adeus

Nenhum comentário: