quarta-feira, 1 de junho de 2011

eu ainda preciso lutar

eu ainda posso sorrir
posso arrancar das entranhas da alma
um sorriso vivido e aberto
a essência demolidora dessa desgraça

vencer depende de mim
lutar é não deixar pra depois
chorar tendo colo o travesseiro
é sorrir acordado o que já se foi

desistir é morrer
insistir é encontrar o caminho
andar sem clamar a pertinente dor
é buscar a resposta pra o que vivo pedindo

gritar, gritar sem parar
mover o mundo sem mesmo eu puder
andar nas nuvens clamando carinho
chamar a existência um motivo qualquer

morrer sem ter um motivo
viver sem um qualquer
ser dono de tudo e do mundo
ser um mendigo de esquina qualquer

eu quero lutar
lutar e esquecer no que estou a pensar
esquecer que o meu choro pede a parada
e aceitar que preciso recomeçar

Nenhum comentário: