sexta-feira, 10 de junho de 2011

confesso

eu ainda insisto tentar
mesmo sabendo que o jogo acabou
que as ordens se escorreram
e você há tempos partiu
finjo um mundo alegre
mas o que penso é reverter
exumar o cadáver que eu enterrei
e enxergar que nunca eu deixei de te amar

não sei se quero voltar atrás
mas tudo me move em sua direção
anjo carente morando em meu peito
do beijo molhado que me enfeitiçou
saiba que nunca morri pra você
mesmo insistindo em dizer não
ontem chorei a saudade escondida
não se espante se eu quiser voltar

eu não morri pra você
talvez você nem se lembre de mim
esqueceu minha presença no beijo de outrem
deixaste o anel que te fez sorrir
eu sei que é difícil pedir novamente
ouvir o que não pedi pra ouvir
tentar reatar o que você tanto tentou
dizer que ainda moro em você

eu sei que pra você agora é assim
moro em teus sonhos sem mesmo saber
digo que não tentando esquecer
mas sou passado lembrado por mim
você se esqueceu mas eu não
pena que não moro em tua mente
mas sei que este mundo não morre aqui
diga um sim com esse volta pra mim

Nenhum comentário: