terça-feira, 14 de junho de 2011

areias

eu te vi distante
não sei se do alto ou do chão
nós percorríamos a areia deserta
não era você, era a solidão

eu vi um pombo comer
avistei de longe um objeto no ar
e a ilusão da água que refletia
mostrava-me o mundo que ia acabar

nas lojas pareciam saber
que você gosta de flores
que anualmente mergulha com botos
e já escondidos falavam de amores

viva estes seus memoriais
olhe e veja o avião decolar
ele te fala onde eu estou
e lá você pode me encontrar

Nenhum comentário: