sábado, 25 de junho de 2011

alguém não sabe

eu ainda não sabia
só esperava alguém me contar
ninguém teve a coragem
agora sei como é desejar

foi ontem
mas o tempo não deixou
reviver somente em fotos
ver que nada daquilo restou

tudo passa
minhas lembranças não
não aprendi viver um momento
mas de um abraço faço questão

nada existe por eternidade
um dia todos vamos chorar
seja a mãe que não tem pai
ou o filho que não pôde ganhar

mundos sempre opostos
um mundo não pode sorrir
a companhia gera alegria
e pelos mundos vem o existir

cai a história que pôde nascer
vira se a página que eu escrevi
morre o poeta insaciável
nasce a canção pra o meu existir


Nenhum comentário: