terça-feira, 24 de maio de 2011

do outro lado

não posso dizer perdi
eu ainda tenho uma passarela
olhar pra trás é ver um rio
um rio de ondas que me apontam o céu

os carros que cruzam a via
parecem querer me ignorar
do outro lado do rio existe alguém
e da passarela eu não posso avistar

essa cidade parece vazia
até esta praça está desolada
só vejo aquele moço e seu cão
junto com o rio e todos calados


nada enfim acabou
agora vejo um lugar habitado
o medo da morte já se afastou
já estou avistando a porta de entrada

lindo este caminho
a beira do rio pessoas a caminhar
linda essa figura na praça central
depois eu a vejo, preciso apressar

ah, agora cheguei
pareço estar tonto e sem acreditar
que tudo é possível pra'quele que crê
agora é viver do lado de cá

Nenhum comentário: