segunda-feira, 23 de maio de 2011

desejos e palavras estranhas

Dores da morte
Alguém me quer fletar
Sou forçado a uma escolha
Se ainda pretendo gostar

Eu estou na folha vazia
Você precisa revelar-me um segredo
Posso ir mesmo sem lá ir
A torneira pingando me leva ao banheiro

Diga-me o que queres
Sorria como nada aconteceu
A folha vazia agora é minha vida
O medo esconde o você do eu

Da janela agora é bonito
Tudo que nunca eu quis gostar
E mesmo no escuro falando sozinho
A janela é o mundo pra o eu aceitar

Fleche-me ou eu me aproximo
Esqueça, eu não vou me entregar
Não quero me aproximar
A folha parece querer voar

Não me adianta essas rosas
Hoje vou dormir num quarto de hotel
Mas e o asfalto é o meu perigo
A folha parece querer voar

Um sonho em nós dois
Era só pra me esvaziar
Diga que não se apaixonou
Eu sou um bruxo que não sabe amar

Estou me escondendo de você
A noite custa passar
A folha voou pela janela
Minhas lágrimas estão a flutuar

Não posso ser este anjo
A meia noite vai me aproximar
Você verá este vampiro maldito
A criatura que chora por não poder amar

Nenhum comentário: