segunda-feira, 25 de abril de 2011

caminho de volta

ainda estou a passos leves
de volta à onde prometi não voltar
de volta a vida agora perdida
contra o vento que me faz chorar

ainda penso que posso regressar
posso sonhar em tudo de novo
em um papel ainda sem cola
que só agora eu sei como o colar

ainda posso repensar
mas insisto em não olhar para trás
só carrego um par de chinelos nas mãos
e um monstro na mente por ter que voltar

minha casa não é mais nossa
é minha casa e lá vou morar
lá, a beira mar tudo é incerteza
vou guardar as pisadas de ir e voltar.

Nenhum comentário: