domingo, 14 de janeiro de 2018

Sobre o amor?

Hoje eu vi três pessoas discutindo sobre o amor e me coloquei a pensar sobre este sentimento. O amor é uma embriaguez temporária que acomete o sujeito. Em uns ela passa rápido, feito promessas de bêbado em luas tristes. Já em outros ela insiste em não ir embora; e essa demora até deixa sequelas do tipo A de saudade. A única certeza é a de que passa, saiba disso. O amor não é a uma solução de corações puros e almas divinas, do mesmo modo, ele não provém de destinos cruzados, não foi separado pra você e sequer vem de outras vidas. O amor é a ciência mais exata do universo. É único, em um ser que preenche os teus medos e descuidos, te controla pela frequência da voz e arranca de ti os desejos de cometer os melhores pecados do mundo ao som do sussurro esquisito que embaralha a fala. O amor é tão incerto quanto as chuvas de Janeiro, mas é exato. É equação com resultado único e de variáveis malucas. Um sentimento que desabrocha em ti o lado mais selvagem que a natureza humana tem. O amor não é sentimento para quem se acha certo e seguro o suficiente de si. Isso é sentimento para os mais drogados e alucinados corações que vivem em busca de alimentar o desejo de sempre viver mais uma ilusão. Eu sei que não expliquei sobre o amor! Mas eu disse que tal sentimento tem explicação?

Texto PD Hudson
Pd_hud